JLS - Versos &  Rimas
Almas Belas, Tudo é Poesia!
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Alma-criança



Quando a alma tem fome e se sente vazia
Ávida se enche de tudo que há no mundo
Toda sua fortuna é um cheque sem fundo
Nem ouro nem dinheiro a sua fome sacia.

Quando a alma se alimenta da vã fantasia
Da riqueza perecível que dura um segundo
Ilusão que perece com o corpo moribundo
É alma faminta em banquete de ambrosia.

Alma tenra encantada com o que brilha mais
Na Terra não resiste ao brilho dos diamantes
Alma-criança presa na ciranda de vis metais.

A fome da alma não é de alimentos normais
Ela sente falta de suas essências tonificantes
No sabor nutritivo de substâncias imateriais.

Uberaba, 25/06/2017.
João Lázaro Silva
Enviado por João Lázaro Silva em 12/09/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras